CÂNCER DE PELE

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, 135 mil novos casos. O câncer da pele corresponde a 25% de todos os diagnósticos.

 

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Estas células se dispõem formando camadas e, de acordo com elas, definimos os diferentes tipos de câncer. Os mais comuns são: carcinoma basocelular, espinocelular e melanoma (maligno e não-melanoma). 

Não-melanoma

Tem letalidade baixa, mas os números alertam os especialistas. A exposição excessiva ao sol é a principal causa da doença. Nos Estados Unidos, a Academia Americana de Dermatologia estima que haja dois milhões de casos novos a cada ano.

 

Apesar da incidência elevada, o câncer da pele não-melanoma pode ser curado com facilidade se detectado precocemente. Por isso, examine regularmente sua pele e procure imediatamente um dermatologista caso perceba pintas ou sinais suspeitos.

Carcinoma Basocelular

 

É o tipo mais comum de câncer de pele. Geralmente se desenvolve em pessoas mais claras, e após anos de exposição solar freqüente ou bronzeamento artificial.

 

Costuma surgir na região da cabeça, pescoço e braços, mas pode se formar em qualquer parte do corpo, incluindo tórax, abdome e pernas. Sua aparência é a de um caroço cor de pele, semelhante a uma pérola, ou mancha rosada.

 

O diagnóstico e tratamento precoces do carcinoma basocelular são importantes para evitar que este se espalhe para o tecido circundante,  nervos e ossos do corpo, causando danos e desfiguração.

Carcinoma espinocelular

Aqui, pessoas de pele clara também têm maior probabilidade de desenvolver o carcinoma espinocelular. No entanto, ele também pode se manifestar em peles mais escuras.

 

Geralmente, aparece em forma de inchaço firme e vermelho, mancha escamosa ou ferida que nunca se cura completamente. Tende a se formar em regiões do corpo que recebem exposição solar freqüente como orelhas, face, pescoço, braços, peito e costas. 

Melanoma

É o tipo mais letal de câncer de pele. Desenvolve-se a partir de uma pintinha escura que, ao longo do tempo, cresce uniformemente.

 

O diagnóstico e tratamento precoces são cruciais. Afinal, ele pode se espalhar de forma rápida, atingindo órgãos vitais como pulmões e coração. 

Causas e fatores de risco do câncer de pele

Ainda não se sabe, exatamente, por que certas células se tornam cancerosas. No entanto, são fatores de risco para o câncer de pele:

 

       exposição aos raios UV (eles danificam o DNA das células da pele, alterando a forma como elas crescem e permanecem vivas);

       pele/cabelos claros e sardas;

       histórico familiar;

       histórico pessoal (o melanoma é ainda mais provável em pessoas que já o tiveram). 

Prevenção

A melhor forma de reduzir o risco de câncer de pele é limitar a exposição do corpo aos raios UV. Uma pessoa pode fazer isso usando protetor solar, procurando sombra e usar bonés e chapéus. 

Agende sua consulta:

CONTATOS

(31) 3283 9996

atendimento@fabiogontijo.com.br

Av. do Contorno 4747, 13° andar, salas 1314 / 1315 / 1316
Funcionários, Complexo LifeCenter, Belo Horizonte – MG

Fábio Gontijo - Doctoralia.com.br
©2020 Todos os direitos reservados.