CIRURGIA DA UNHA

Uma das regiões do corpo que muitas pessoas não dão a devida atenção são as unhas. A falta de cuidado acaba comprometendo a saúde dessa área e, em alguns casos, a única solução é passar por uma cirurgia da unha. 

O motivo mais comum que leva muitos pacientes ao procedimento cirúrgico é a unha encravada (onicocriptose), um problema que acontece sempre que há uma inflamação na pele dessa região. 

Em geral, isso acontece porque a unha e a pele estão brigando por espaço. E pode ser potencializado por muitos fatores externos que não damos atenção no dia a dia. O resultado é dolorido: pus nos cantos da unha e uma “carne esponjosa” que pode inchar, sangrar e latejar, causando um incômodo forte. 

É comum que o problema se desenvolva no primeiro dedo do pé, o popular dedão. Mas também há casos em que outras unhas – ou mesmo as unhas da mão, cheguem à esse quadro. 

O que causa unha encravada?

Os motivos que levam à esse problema são muitos: pode ser genético, de hábitos diários e até traumas agudos. 

A causa principal, no entanto, é corte errado das unhas (deve ser sempre reta, nunca arredondada). 

Quando você corta a unha do jeito errado, arredondando os cantos, faz com que a unha nasça muito próxima a pele, o que ocasiona a inflamação. Depois disso, é comum que o quadro piore se não for tratado por má higienização, devido a dor. 

Outros fatores que podem favorecer a unha encravada são: 

Anormalidades na forma da unha; Excesso de suor nos pés; Sapatos apertados e meias sintéticas; Traumas na unha; Micose.

Dermatologista x podólogo: qual profissional procurar?

Em alguns casos, um podólogo pode auxiliar o tratamento das unhas, mas o indicado é sempre consultar com um dermatologista e verificar seu quadro clínico. 

Apenas um médico habilitado pode receitar tratamentos de medicação via oral, o que pode ser necessário em muitos casos. Assim, por mais que a assistência de um podólogo é válida, nunca substitui o tratamento médico. 

Hoje, você pode fazer o exame clínico e a cirurgia da unha diretamente com o dermatologista, sem necessidade de recorrer a tratamentos alternativos. 

Caso seja necessário acompanhamento com um podólogo, seu dermatologista irá encaminhar.

Tratamentos para unha encravada

Em alguns casos, o problema pode ser resolvido sem cirurgia da unha. Mas, para que isso seja possível, é necessário um diagnóstico ainda na fase inicial. Nos quadros mais simples, separar a espícula da unha e a pele já resolve o problema. 

Outros tratamentos como banhos em soluções antissépticas e agentes secativos também ajudam a aumentar o conforto do paciente e reduzir a inflamação. Já para casos em que há granuloma piogênico (carne esponjosa sobre a unha), o uso de ácidos fortes pode ser indicado. Mas sempre com a orientação e presença de um dermatologista na hora de realizar o procedimento. 

Se nenhum dos tratamentos mais simples ajudar, aí a cirurgia da unha é a solução. O podólogo pode ser o profissional indicado para o início do quadro, mas quando a infecção está instalada, o dermatologista deve ser procurado. 

Ele irá avaliar a lesão e indicar o tratamento adequado: seja procedimentos de alívio clínico como remédios orais e locais, ou a intervenção cirúrgica Em geral, o primeiro passo é cuidar da inflamação para depois remover o encravamento.

Como é a cirurgia da unha?

A cirurgia da unha consiste em remover uma parte da unha, (a área afetada) retirando até sua matriz. A extração da unha completa deve ser evitada a todo custo, em caso de unha encravada, uma vez que o problema voltará a ocorrer quando crescer. 

Cada caso irá exigir um procedimento: alguns deles exigem o uso de fenol, pontos, etc. Para descobrir como é a cirurgia da unha para o seu quadro, o ideal é procurar um dermatologista especializado. 

Em geral, se a cirurgia da unha é feita em boas condições, a chance de reaparecimento da doença é baixa. No entanto, os hábitos pessoais do paciente também contribuem muito para a solução do problema.

Recuperação após cirurgia da unha

A cirurgia da unha não é um procedimento invasivo, e em geral sua recuperação é simples. O seu maior benefício é o alívio da dor imediato que o paciente sente logo após a cirurgia. No dia do procedimento o indicado é manter os pés elevados. 

Após um ou dois dias, você pode ir retornando à rotina normal, mas sempre usando um 

sapato folgado e mantendo a higienização da área operada. 

É possível que, mesmo após a primeira cirurgia, ainda permaneça algum pedaço de unha dentro da pele. Nesses casos, o recomendado é retornar ao dermatologista para um novo procedimento ou iniciar um tratamento constante com o profissional. 

Se algum dos sintomas citados apareceu na sua unha, entre em contato comigo e agende uma consulta. É fundamental que um diagnóstico seja feito ainda no início para não acarretar em danos futuros. 

Esse conteúdo tem o objetivo de esclarecer as principais dúvidas sobre cirurgia da unha, mas não substitui o atendimento médico. Para que o tipo de tratamento seja indicado com garantia, é necessário uma avaliação. 

Para descobrir mais sobre procedimentos dermatológicos, siga meu Instagram Facebook. Você pode acompanhar os procedimentos que realizo e os resultados. 

Você também pode acompanhar artigos especiais sobre procedimentos estéticos e dermatológicos no blog. Além de encontrar várias dicas úteis para o seu dia a dia. Confere lá!

 

Abraços, 

Dr. Fábio Gontijo. 

Agende sua consulta:

CONTATOS

(31) 3283 9996

atendimento@fabiogontijo.com.br

Av. do Contorno 4747, 13° andar, salas 1314 / 1315 / 1316
Funcionários, Complexo LifeCenter, Belo Horizonte – MG

Fábio Gontijo - Doctoralia.com.br
©2020 Todos os direitos reservados.