Depois de um longo inverno, todos nós já estamos prontos para o retorno daqueles dias bem quentes e ensolarados. Seja a caminho do trabalho, na praia, no sítio ou até mesmo no próprio quintal, os planos devem incluir o protetor solar.

Acontece que, como já dizia Hamlet (Shakespeare), “há mais coisas entre o céu e a terra, Horácio, do que sonha a nossa vã filosofia”. A filosofia do protetor solar é muito mais complexa do que “passar qualquer coisa no rosto/corpo que tenha FPS (fator de protetor solar)”.

Para cuidar da pele e protegê-la do sol corretamente, é preciso entender sobre a composição dos produtos que você passa nela para esse propósito, suas classificações de FPS e instruções de aplicação.

É por isso que, hoje, nosso bate-papo será sobre como preservar a pele no verão dum jeito que ela fique sempre saudável, bem-cuidada e extremamente resguardada. Vamos lá?

Quais são os ingredientes mais comuns do protetor solar, e como eles funcionam?

A maioria dos protetores solares contêm vários ingredientes ativos para proteger a pele de dois tipos de raios ultravioleta emitidos pelo sol: o UVA e o UVB.

Sobre o UVA e o UVB

O UVA (ultravioleta A) alcança a derme, camada abaixo da epiderme (parte visível da nossa pele), e é responsável por dar aquele bronzeado no corpo que todo mundo ama. Porém, junto com ele ganhamos rugas e manchas.

O UVA é capaz de ultrapassar as nuvens (ou seja, em dias nublados, ele ainda consegue nos atingir). Um ponto importante: ele não é completamente bloqueado pelo protetor solar.

O UVB (ultravioleta B) atinge apenas a camada mais superficial da pele, e é responsável por aquele “vermelho” nas bochechas e costas que aparece depois de um dia de muito sol. Sua concentração é maior entre as 10 da manhã e 4 da tarde aumentando o risco de câncer de pele.

Sobre os ingredientes do protetor solar

Esses ingredientes se enquadram em duas categorias principais: bloqueadores físicos e absorvedores químicos.

Os bloqueadores físicos comuns são o dióxido de titânio e o óxido de zinco. Eles criam uma barreira física entre a pele e os raios UV.

Os absorvedores químicos fazem exatamente o que o nome sugere: absorvem os raios UV para que a nossa pele não os absorva. São alguns exemplos:

  • oxibenzona;
  • avobenzona;
  • homosalato;
  • octinoxate.

Além dos ingredientes ativos, os filtros solares contêm muitos ingredientes inativos adicionais. Estes podem variar com base na marca e tipo de produto, e podem incluir antioxidantes, vitaminas, conservantes, fragrâncias e emolientes.

E como escolher o protetor solar ideal para você?

Ao comprar um filtro solar, dê preferência àqueles que possuem as seguintes informações no rótulo:

  • amplo espectro: isso significa que o protetor solar é capaz de proteger sua pele dos dois tipos de raios UV que são prejudiciais à saúde (UVA e UVB);
  • FPS 30 ou superior: a Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda o uso de filtros solares que possuem o fator de proteção solar (FPS) 30, ou superior.

    Curiosidade: o FPS listado para um filtro solar reflete o grau de proteção deste contra APENAS os raios UVB. É por isso que optar por um produto de amplo espectro é tão importante. Além disso, vale ressaltar que classificações altíssimas, de 100 FPS ou mais, na verdade, não são muito mais protetoras do que um FPS 50, por exemplo, que bloqueia 98% dos raios UVB.

  • resistente à água: isso indica que a proteção solar permanecerá funcionando de 40 a 80 minutos após a exposição da pele à água (incluindo o suor). Dica: não existe filtro solar completamente à prova d’água, ok?

Qual é o melhor tipo de filtro solar?

O melhor tipo de filtro solar, na verdade, depende da área do corpo que você deseja proteger, e como isso vai acontecer. Por exemplo: se você tem filhos ansiosos, agitados e doidos para entrar na piscina, um protetor em spray é uma ótima escolha.

As opções de filtros solares disponíveis no mercado incluem: loções, cremes, géis, pomadas e sprays. Os cremes de toque seco são melhores para o rosto e peles oleosas no geral. Já os géis são bons para áreas com bastante pêlo, como o couro cabeludo, braços, peito masculino e pernas.

Há também filtros solares feitos para fins específicos, como para pele sensíveis e para bebês. Alguns produtos também estão disponíveis em combinação com hidratantes e cosméticos. Porém, cuidado: embora eles sejam convenientes, também precisam ser reaplicados para obter melhor proteção contra o sol.

E os filtros solares com base?

Filtros com base protegem a pele dos raios ultravioleta e promovem uma proteção adicional contra a luz visível emitida pelas lâmpadas, dispositivos eletrônicos e também pelo sol. A luz visível causa manchas e rugas na pele.

É importante lembrar que protetor solar com base é diferente de base com protetor! A maioria das bases tem FPS baixo e não protegem adequadamente a pele.

Como e quando devo aplicar protetor solar?

A primeira aplicação de protetor solar deve acontecer cerca de 15 minutos antes de sair de casa, ou se expor ao sol, e deve sempre ser aplicada na pele seca.

Todas as áreas da pele não cobertas por roupas devem ter protetor solar sobre elas, e ele deve ser reaplicado a cada duas horas se você estiver nadando ou praticando algum exercício.

Para obter proteção total do sol, você precisa aplicar uma quantidade generosa do produto na pele. Então, nada de camadinhas finas de filtro solar, ok?

Preciso prestar atenção à data de validade do filtro solar?

Sim. Se o protetor solar tiver passado a data de validade listada, ou tiver mais de três anos, você não deve usá-lo. Além disso, não use o produto se sua cor ou consistência tiver mudado.

Pessoas com determinados tons de pele devem usar mais, ou menos protetor solar?

É recomendado que todas as pessoas, independentemente da cor da pele, usem protetor solar. Afinal, o câncer de pele pode se desenvolver mesmo em pessoas com tipos de pele mais escuros.

E, por fim: somente o protetor solar é suficiente para poupar a pele do sol?

Não. Até mesmo os protetores solares com FPS altíssimos não protegem o corpo contra 100% dos raios nocivos do sol. Logo, além do filtro solar, recomendo que você use óculos de sol, chapéus de aba larga, roupas de proteção e busque por sombras sempre que possível.

Além disso, tenha em mente que sentar sob uma sobrinha ou dossel não oferece proteção suficiente porque os raios do sol se refletem facilmente na areia e na água.

E aí, ainda tem dúvidas sobre qual é o melhor filtro solar para o seu caso? É só marcar uma consulta comigo clicando aqui que nós vamos descobrir isso juntos! Pode vir que estou te esperando.


1 comentário

Cosméticos anti-idade - Dr. Fábio Gontijo Dermatologista BH · 7 de outubro de 2019 às 09:15

[…] Por isso, consulte o dermatologista para saber qual filtro solar é o mais indicado para o seu caso. Aliás, caso você queira saber tudo o que precisa sobre esse assunto, é só clicar aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *