REDUÇÃO DA ASA NASAL

Os procedimentos estéticos são um dos maiores motivos da procura por cirurgias
dermatológicas no mundo e, entre muitas opções, a cirurgia no nariz ganha destaque.

Seja para alterar tamanho, formato ou até sua funcionalidade, uma cirurgia dermatológica pode resolver muitas queixas em relação à essa região. 

E a redução da asa nasal é uma das correções mais procuradas – e simples, que você pode fazer. Quer ver? Então descubra tudo sobre isso comigo.

O que é redução da asa nasal?

Para começar, você sabe qual parte do seu nariz é a asa nasal? As asas nasais são as estruturas que circulam as suas narinas. Elas são formadas por pele, tecido subcutâneo e conectivo, gordura e mucosa. 

Em muitas pessoas, elas tendem a ser mais largas, grossas (devido a sua etnia) e até ter uma abertura maior ao sorrir. Apesar de ser uma característica natural, quando é desproporcional gera muito incômodo. 

E para quem deseja diminuir naturalmente essa região a redução da asa nasal é recomendada. 

Esse procedimento chama-se alectomia e, originalmente, era uma das etapas da cirurgia de rinoplastia. Felizmente, com o avanço das cirurgias estéticas, você já pode optar por operar apenas as asas nasais isoladamente. 

Tudo dependerá do que você deseja fazer e da avaliação de um cirurgião. 

Hoje, a alectomia é uma cirurgia considerada de baixa complexidade, rápida recuperação e baixos índices de complicações. Ainda assim, como todo procedimento cirúrgico, riscos existem. 

Portanto, o ideal é escolher um profissional adequado para realizar a redução da asa nasal. 

Quais as indicações da alectomia?

Como a finalidade da alectomia é a diminuição da largura do nariz (e algumas correções de assimetria), o procedimento é indicado para as pessoas que se sentem incomodadas com o formato do nariz

Claro, levando em consideração as características faciais do paciente – especialmente sua etnia. O objetivo é corrigir o problema com harmonia, ou pode acabar acentuando ainda mais o que gera o desconforto. 

Você pode fazer uma pré-análise para descobrir se a redução da asa nasal funcionaria no seu caso: imagine duas linhas verticais, cada uma no canto interno de um dos seus olhos. 

O ideal é que as asas do nariz estejam alinhadas com essas marcações. Caso ultrapasse as linhas, seu nariz pode ser considerado largo, e a alectomia é uma solução. 

Vale lembrar que essa medida é apenas uma orientação, e apenas um médico poderá dizer com propriedade se a intervenção cirúrgica é indicada. 

Cada pessoa tem proporções faciais e particularidades diferentes, e o objetivo é amenizar os traços excessivos, sem descaracterizar fisicamente o seu rosto.

Como é feito procedimento?

Se você imagina um procedimento difícil e dolorido ao falar em cirurgia no nariz, saiba que a redução das aberturas nasais é muito mais simples, tanto no processo cirúrgico quanto no pós-operatório. 

A alectomia acontece assim: o cirurgião irá retirar uma parte do tecido das suas asas nasais e remodelar o restante. Em geral, o tecido é reposicionado na própria curvatura do nariz, o que ajuda as cicatrizes serem mais discretas, praticamente imperceptíveis. 

A cirurgia não exige anestesia geral (apenas local) e nem internação, e você pode solicitar uma sedação superficial, caso sinta-se mais confortável. 

O procedimento costuma ser ambulatorial e você pode retornar para sua rotina normal, sem necessidade de permanecer em observação.

Como é o pós-operatório da alectomia?

Assim como o próprio procedimento cirúrgico, a recuperação também é muito tranquila. No geral, assim que a redução da asa nasal é feita, você é liberado e pode manter suas atividades diárias. Também não é necessário um afastamento do trabalho, em grande parte dos casos. 

Diferente de uma rinoplastia completa, por exemplo, em que há muitos hematomas, inchaço e dor mais aguda. A alectomia praticamente não causa edemas locais e manchas roxas. 

O que pode acontecer são um pequeno incômodo e uma leve vermelhidão na região operada. 

Depois que a cirurgia é realizada, já é possível notar a uma diferença no nariz. Porém, o aspecto definitivo leva alguns meses para aparecer – o tempo que sua pele necessita para cicatrizar definitivamente. 

Nos três primeiros meses, a exposição ao sol e as atividades físicas devem ser evitadas para não interferir no resultado final.

Quais os riscos da redução da asa nasal?

Como em toda cirurgia, na alectomia também há riscos. Ao realizar a redução da asa nasal, o principal cuidado deve ser em relação à quantidade de tecido que será retirada, que jamais deve ser feito em excesso. 

Também não pode acontecer de uma redução ser maior de um lado da asa do que do outro lado, o resultado precisa ser assimétrico. 

Por isso, antes de marcar sua cirurgia, tenha certeza do profissional que irá atendê-lo. Embora o procedimento seja simples, para conseguir o resultado que espera, é necessário que o cirurgião seja capacitado. 

Seja para cirurgias no nariz ou em qualquer outra parte do corpo, faça sua escolha com cuidado e atenção. 

Se você deseja fazer uma avaliação médica para saber mais sobre redução de asa nasal, clique aqui e agende um horário comigo. Será um prazer esclarecer qualquer dúvida a respeito desse tipo de procedimento. 

Você também pode aprender mais sobre cirurgias dermatológicas aqui, veja no blog alguns conteúdos úteis que podem ajudar a entender mais sobre os procedimentos e quais são ideais para o seu caso. Além de dicas especiais para o seu cuidado pessoal no dia a dia. 

E se você gosta de entender e aprender sobre esses assuntos, me siga nas minhas redes sociais. Você pode acompanhar meus conteúdos no Instagram Facebook para não perder nenhuma novidade. 

 

Abraços, 

Dr. Fábio Gontijo.

Agende sua consulta:

CONTATOS

(31) 3283 9996

atendimento@fabiogontijo.com.br

Av. do Contorno 4747, 13° andar, salas 1314 / 1315 / 1316
Funcionários, Complexo LifeCenter, Belo Horizonte – MG

Fábio Gontijo - Doctoralia.com.br
©2020 Todos os direitos reservados.