Você com certeza já ouviu falar na toxina botulínica. Algumas pessoas o fazem regularmente, enquanto outras ainda estão avaliando seus prós e contras.

Mas, calma… o que é, e para que serve a toxina botulínica de fato?

É uma neurotoxina (toxina que atua no sistema nervoso) produzida por uma bactéria, a Clostridium botulinum. Existem vários tipos de toxina botulínica, e daqui a pouco vamos conversar mais sobre elas. Antes, gostaria de continuar com um panorama geral sobre esse assunto.

Se ela é uma toxina, como chegamos ao ponto de injetá-la no rosto e em outras áreas do corpo?

Bom, realmente a ingestão de alimentos contaminados com a C. botulinum causa uma doença grave, chamada botulismo. Porém, quando a toxina botulínica é purificada e injetada em pequenas doses, ela se torna um método muito seguro e eficaz para relaxar a contração muscular.

Embora muitos médicos, no início do século XVIII, tenham sugerido o uso médico dessa toxina, demorou até o início dos anos 70 antes para que ela fosse usada pela primeira vez na medicina, em casos bebês com paralisia cerebral ou pacientes com alguns tipos de estrabismo (olhos desalinhados).

E como a toxina botulínica age no organismo?

Existem oito tipos diferentes de toxina botulínica produzidos pela C. botulinum: A, B, C1, C2, D, E, F e G. Todos estes funcionam como bloqueadores da liberação de acetilcolina, um dos nossos neurotransmissores. Os resultados disso são relaxamento e paralisia muscular. Na medicina, utiliza-se o tipo A.

As aplicações da toxina botulínica são incrivelmente úteis. Através de injeções, ela é aplicada em músculos específicos que, sob os efeitos da acetilcolina, param de se contrair.

Para quais situações, então, a toxina botulínica é indicada?

Do ponto de vista estético, a toxina botulínica é capaz de suavizar linhas de expressão, vincos e rugas no rosto. Elas são utilizadas comumente para atenuar:

  • pés de galinha;
  • rugas no nariz (bunny lines);
  • sulcos entre as sobrancelhas;
  • rugas na testa.

Uma outra aplicação incrível da toxina botulínica é para elevar a cauda dos supercílios. Além disso, pode ser utilizada para melhorar o sorriso gengival, corrigir assimetrias e harmonizar a face.

Quanto tempo a toxina botulínica leva para começar a fazer efeito?

Os efeitos da toxina botulínica podem ser observados 5 a 7 dias após o procedimento e atingem seu pico em torno de duas semanas.

Quanto tempo duram os efeitos?

A duração do tratamento com a toxina botulínica varia de acordo com o paciente. Geralmente, o efeito máximo dura até 3 meses, quando começa a ser observada alguma contração muscular nas áreas tratadas.

A partir daí, a movimentação vai lentamente voltando ao normal, até que todo o efeito do tratamento passe. Isso ocorre em torno de 5 a 6 meses após a aplicação.

Para o quê a toxina botulínica é utilizada na medicina?

Embora a aplicação cosmética da toxina botulínica seja a mais conhecida, ela é usada em várias especialidades da medicina para tratar:

  • enxaqueca crônica (que ocorre mais de 15 dias por mês e dura mais que 4 horas por episódio);
  • distonias focais (contrações musculares involuntárias em uma área específica do corpo);
  • espasmo hemifacial (contração involuntária dos músculos de um lado da face);
  • hiperidrose (transpiração excessiva);
  • hipersalivação (aumento da produção de saliva);
  • sintomas de bexiga hiperativa, incluindo incontinência, quando outros medicamentos são ineficazes ou não tolerados;
  • estrabismo (desalinhamento dos olhos).

Como a aplicação da toxina botulínica é feita?

Uma agulha fina é usada para injetar o produto nos músculos ou glândulas em questão. As doses variam de acordo com:

  • o tamanho do músculo: músculos maiores requerem doses mais altas;
  • quem está sendo injetado: algumas pessoas podem exigir doses mais baixas, ou altas, tudo depende do quadro;
  • a presença de fraqueza muscular pré-existente.

Recomenda-se o repouso e a prevenção de atividades extenuantes após cada procedimento, para minimizar o risco de dispersão da toxina devido ao aumento da circulação sanguínea. Além disso, tratamentos a laser e faciais devem ser evitados por uma a duas semanas após as injeções.

Por fim: quais são as possíveis complicações?

Em casos raros, a toxina botulínica se espalham para além do local da injeção e, consequentemente, podem causar efeitos colaterais. São alguns exemplos:

  • dificuldade para engolir e/ou respirar;
  • visão embaçada;
  • pálpebras caídas;
  • alterações na voz.

Crianças em tratamento para espasmos musculares, e pessoas com certas condições subjacentes, correm mais riscos de sofrerem esses efeitos.

E aí, acredita que a toxina botulínica pode ser uma solução para o seu caso? É só marcar uma consulta comigo clicando aqui, e até a próxima!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *