O umbigo triste é um processo natural e extremamente comum em pessoas que, de alguma forma, desenvolveram flacidez na região superior do abdome. Isso faz com que a pele dessa região, agora sem a devida sustentação, acabe sucumbindo aos efeitos da gravidade, ou seja, “caindo”.

O excesso de tecido faz, então, com que o umbigo adquira uma forma curvada em direção ao seu centro, simulando uma expressão de tristeza.

Duas mulheres, uma com umbigo comum está segurando um cartão com um carinha feliz e a outra com umbigo triste está segurando um cartão com uma carinha triste.

Normalmente, esse efeito costuma ocorrer devido a episódios que esticam a pele da região abdominal e, depois de algum tempo, permitem que ela volte à sua “posição inicial”. É o caso da perda de peso rápida, do período pós-gestação, de algum procedimento ou até mesmo do próprio envelhecimento, que torna a pele mais flácida devido à diminuição na produção de colágeno e elastina.

A boa notícia é que, graças a uma série de tratamentos (invasivos, ou não), é possível não só amenizar essa situação, como até mesmo reconstruir o formato do próprio umbigo. Para saber quais são eles, continue comigo.

1. Radiofrequência

A radiofrequência é um tratamento interessante para quem deseja amenizar a aparência de um umbigo triste porque, além de pouco invasiva, é muito prática e segura.

Funciona assim: por meio de um aparelho que emite correntes de alta frequência a uma temperatura de até 42°C, ele consegue estimular a produção de colágeno na região, deixando-a mais firme.

Além disso, caso haja depósitos de gordura próximos ao umbigo, essa técnica pode amenizá-los e tornar a superfície da pele ainda mais tonificada. Afinal, o calor acelera o metabolismo das células adiposas, reduzindo as concentrações de gordura e diminuindo o volume da região.

As sessões não exigem prés e pós-operatórios mirabolantes, o que é ótimo para pessoas extremamente ocupadas e ativas. O número de consultas, claro, varia de acordo com as necessidades e objetivos do paciente, sendo o intervalo entre elas de 7 a 15 dias. Os resultados, por fim, são notados a partir da 3ª sessão.

2. Bioestimuladores (Sculptra e Radiesse)

Os bioestimuladores, em especial os feitos à base de ácido polilático (Sculptra®) são verdadeiras armas contra a flacidez porque, ao serem injetados, estimulam a produção de colágeno.

Funciona assim: quando em contato com as camadas mais profundas da pele, estimulam a ação dos fibroblastos, células produtoras dessa proteína. A pele, então, fica mais firme, viçosa e tonificada.

A quantidade de sessões e o número de injeções depende diretamente das necessidades e objetivos do paciente. Normalmente, são feitas de 1 a 3 sessões, com intervalos de um mês entre cada, sendo a manutenção dos resultados feita uma vez ao ano.

Para maior conforto do paciente, uma pequena porção de anestésico tópico é aplicada sobre a região que receberá as injeções.

3. Ultraformer®

O Ultraformer® é uma ótima opção para quem deseja promover à pele um “efeito lifting”, ainda mais quando o problema é o umbigo triste. Isso acontece porque essa técnica, por meio de ondas acústicas concentradas, atua nas camadas mais profundas da pele, atingindo seus pontos de coagulação.

Em outras palavras, ele promove pequenos “processos inflamatórios”, incentivando a regeneração das células afetadas e estimulando a produção de colágeno. O resultado, claro, é uma pele mais firme e saudável.

O número de sessões, assim como a extensão da região a ser tratada, variam de acordo com cada paciente. O processo é praticamente indolor e costumam demorar cerca de 30 a 40 minutos.

4. Criolipólise

Muito similar à Radiofrequência, a Criolipólise também trabalha com temperaturas para promover à pele mais elasticidade e firmeza. Porém, aqui, ela é fria (de até -10°) e, portanto, destrói as células de gordura congelando-as. Esse rompimento, além de tonificar a região, também estimula a produção de colágeno, deixando a região menos flácida.

A sessão, além de segura, eficaz e indolor, apresenta resultados extremamente satisfatórios que, inclusive, podem ser notados a partir da primeira semana após o tratamento. Não exige prés e pós-operatórios mirabolantes, e muito menos internação, permitindo inclusive que o paciente retorne às atividades do dia normalmente.

5. Onfaloplastia

Indicada principalmente para quem perdeu muito peso, ou sofreu um efeito sanfona (engordar/emagrecer rápido e com certa frequência), a onfaloplastia é um procedimento cirúrgico simples e seguro.

Ele consiste, basicamente, em corrigir a aparência do umbigo por meio de pequenas incisões nessa região. O profissional, aqui, remove o excesso de tecido e gordura do local, faz as correções necessárias (em casos de hérnias ou estenoses, por exemplo) e remodela a cicatriz, criando um novo umbigo.

Para o pré-operatório, são solicitados alguns exames para ajudar a equipe médica a saber como está a saúde geral do paciente. Já o procedimento, por sua vez, é feito com a ajuda de anestesia local e sedação leve, para maior conforto do paciente.

A recuperação, por fim, é bastante tranquila, porém, exige repouso e cuidados específicos por, pelo menos, 7 dias.

Enfim…

Caso você se sinta incomodado com a aparência que o umbigo triste traz à sua barriga e abdômen, saiba que existem inúmeras formas de reverter essa situação. Além disso, quando elas são combinadas a boas escolhas de vida, como alimentação balanceada e exercícios físicos, os resultados são ainda melhores!

Para saber qual é a melhor alternativa para o seu caso, pesquise bastante sobre o assunto e procure por um especialista capacitado e de confiança para o procedimento! Afinal, é da sua autoestima que estamos falando.

No mais, cuide-se e até a próxima.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *