1. O que é peeling químico?

O peeling químico é uma técnica que trabalha com ácidos para ocasionar uma descamação da pele. Pode ser feita no rosto, nas mãos e no pescoço, e seu principal objetivo é melhorar a textura da pele, rejuvenescendo-a.

Isso acontece porque, após o procedimento, as células epiteliais da região se renovam e forma-se uma nova camada de pele, mais lisa, elástica e suave.

2. Quais são os tipos existentes?

Existem três tipos diferentes de peelings químicos:

  • Peeling químico superficial: trabalha com ácidos suaves. Por ter produtos mais brandos e que só penetram na camada mais externa da pele (como o alfa-hidroxiácido, por exemplo), sua esfoliação é suave e indicada para pigmentações leves, acne e rugas superficiais.
  • Peeling químico médio: com o objetivo de remover células danificadas mais internas da pele, essa técnica utiliza ácidos como o tricloroacético e o ácido glicólico. Portanto, é bastante indicado para o tratamento de manchas, cicatrizes de acne e rugas mais profundas.
  • Peeling químico profundo: ideal para quem deseja tratar rugas, manchas, cicatrizes e danos solares, esse tipo de peeling atinge toda a pele, atravessando suas camadas mais profundas. Para tal, utiliza fenol ou ácido tricloroacético.

3. Para quem o peeling químico é indicado?

Um tratamento como o peeling é comumente indicado para pessoas que desejam renovar a pele, melhorar sua textura, livrar-se de algumas manchas e, claro, ter a face rejuvenescida.

4. Para quem é contraindicado??

O tratamento é contraindicado:

  • em pacientes com doenças de pele em atividade;
  • em pacientes com presença de infecção no local da aplicação;
  • em grávidas;
  • em pacientes que, durante o último ano, passaram por tratamentos com isotretinoína;
  • em casos de pacientes com história de herpes, é necessário realizar uma profilaxia desta com antivirais antes de fazer o peeling.

5. Como é feito o peeling químico?

O procedimento pode ser feito em consultório médico, ou centro cirúrgico. Tudo depende da intensidade do tratamento. Porém, mesmo assim, é uma técnica simples e objetiva, que permite ao paciente ir para casa no mesmo dia.

Primeiramente, o profissional fará uma higienização completa da região que receberá o peeling e, em seguida, aplicará uma ou mais soluções químicas em pequenas áreas da pele.

Esse processo, por sua vez, cria uma espécie de “lesão” controlada na área, permitindo que ela se regenere e fique “nova em folha”.

6. Como são os resultados?

Com o peeling químico é possível melhorar a textura da pele, deixando-a mais lisa e suave ao toque, devido à renovação de células. Algumas marcas também são suavizadas.

Já os resultados do peeling superficial, por sua vez, são sutis após as primeiras aplicações. Porém, esse tipo de tratamento pode ser repetido semanalmente, por até 21 dias, até a obtenção do resultado desejado.

Os efeitos dos peelings médio e profundo, por fim, são geralmente notados logo após a primeira sessão.

7. Quais são os cuidados após fazer o peeling químico?

  • Compressas frias;
  • uso de protetor solar diariamente, com fps 30 ou superior;
  • uso de hidratantes e, se necessário, corticosteroides tópicos;
  • não puxar a pele que está descamando.

8. Como é a recuperação?

  • Peeling suave: aqui, a recuperação costuma durar de 4 a 7 dias. A pele, durante esse período, pode ficar um pouco mais clara, ou escura, mas isso é temporário.
  • Peeling médio: para esse nível, a pele demora até 7 dias para se recuperar. Durante esse tempo, pode ficar um pouco inchada e, em seguida, formar crostas e manchas marrons antes da renovação completa.
  • Peeling profundo: aqui, o tempo de recuperação é de 2 a 4 semanas, e os primeiros sintomas após o procedimento são inchaço e vermelhidão, com sensação de queimação ou latejamento.

9. Quais são os riscos do peeling químico?

Qualquer procedimento médico ou estético está sujeito a riscos nos pacientes. No caso do peeling químico, os efeitos colaterais e riscos são:

  • intoxicação;
  • sensibilidade ao frio;
  • alergia;
  • vermelhidão;
  • inchaço;
  • coceira;
  • bolhas;
  • cicatrizes nas marcas da pele.

10. Em quantos dias aparecem os efeitos desse procedimento?

O efeito aparece de 10 a 15 dias após fazer o peeling químico.

11. A pele descama com o peeling químico?

Após fazer o peeling químico, é comum a pele ficar vermelha e descamar. Faz parte do processo de cicatrização da pele.

12. Esse procedimento remove cravos e espinhas?

O peeling químico ajuda no processo de renovação celular, o que contribui na remoção de cravos. No caso de espinhas, ele ajuda a remover marcas causadas por elas.

13. Peeling pode ajudar em manchas causadas por melasma? E as sardas?

Sim, o peeling pode ser uma das alternativas oferecidas pelo dermatologista para suavizar as manchas ocasionadas por melasma.

Pode ser utilizado, também, para clareamento das sardas, mas elas não são removidas.

14. Quando o peeling químico pode dar errado?

O peeling químico deve sempre ser feito por um profissional qualificado e de confiança, com produtos de qualidade, reduzindo assim a possibilidade de erros e processos alérgicos.

Saiba mais sobre o peeling químico:

No mais, caso você tenha mais dúvidas sobre o assunto, agende uma consulta comigo! Juntos, vamos pensar em uma boa solução para o seu caso, combinado?

Um abraço, e até a próxima!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *